Associação Junguiana do Brasil 25 Anos

Monografias

Voltar

Autor: CAETANO, Eneide de Souza
Título: O Feminino na Reconquista do Amor Ferido: Reflexos do Mito de Eros e Psiquê no Relacionamento Afetivo e na Relação Analítica
Ano: 2016
Orientadora: Walter Fonseca Boechat

O mito de Eros e Psiquê, analisado aqui, revela os vários aspectos do relacionamento afetivo, retrata inicialmente as projeções de fantasias inconscientes, o contato ilusório, a atração, em seguida a revelação de quem é realmente o parceiro, a decepção, desgosto, infidelidade e rompimento. Posteriormente ocorre a caminhada solitária dos protagonistas e a totalidade adquirida que favorece a reconquista e o reencontro do casal na ligação amadurecida, simbolizando a dinâmica do desejo e do prazer vivenciados em nossas vidas. Entretanto, este mito esclarece sobre a propensão existente em cada um de nós para o contato afetivo-sexual, no encontro com o outro, por meio do anseio divino, representado pelos desígnios da deusa Afrodite. A atitude heroica de Psiquê a prepara para a vivência de uma realidade ampla, pois desfaz falsas expectativas e fantasias irreais. Ela, portanto, adquire nova identidade, ampliando sua realidade que a torna capaz de unir-se ao ser amado. Os trabalhos desafiadores enfrentados por Psiquê e o recolhimento de Eros para curar sua ferida, proporcionam a ambos uma grande transformação e a consequente satisfação no relacionamento, como também a sensibilidade e maturidade psicológica. Na conscientização de si mesmos, Eros e Psiquê passaram por uma ampla mudança, surge um novo relacionamento que une masculino e feminino como base do processo de individuação. Eros e Psiquê após se encontrarem, passam por uma trajetória que é enriquecida com as experiências típicas de acontecimentos externos que refletem o mundo interior, fruto também de nossas vivências no relacionamento afetivo, que representa o potencial a ser explorado na relação e em nós mesmos. Ao passar por uma grande transformação, Psiquê proporciona também ao amado a possibilidade de se transformar e assim se realiza a união efetiva do casal. Essa pesquisa aborda ainda o mito de Eros e Psiquê representando o cerne da relação analítica no que tange à transferência. Ele constitui a essência desta relação -psicoterapia em busca de Eros, em busca da alma - como mito principal do encontro analítico por ser um mito essencial da criatividade psicológica e transformação da personalidade. Este é o mito da análise.

Palavras-chave: Relacionamento – sacrifícios – transformação - Atitude heroica – Maturidade psicológica – processo de individuação – transferência.

Instituto de Psicologia Analítica de Campinas
Instituto C.G. Jung Minas Gerais
Instituto Junguiano do Paraná
Instituto Junguiano do Rio Grande do Sul
Instituto Junguiano do Rio de Janeiro
Instituto Junguiano de São Paulo
Instituto Junguiano de Brasília
Instituto de Psicologia Analítica da Bahia

Associação Junguiana do Brasil - AJB - Todos os direitos reservados

Rua Cardoso de Almeida, 1005, casa 6
CEP 05013-001 – Perdizes – SP
www.ajb.org.brajb@ajb.org.br

by Elav