Associação Junguiana do Brasil 25 Anos

Monografias

Voltar

Autor: NOGUEIRA, Daniela Gauzzi Carneiro
Título: Frau Holle - O desenvolvimento do feminino no conto dos Irmãos Grimm
Ano: 2013
Orientador: Carlos Alberto Corrêa Salles e Jussara Maria de Fátima César e Melo

Esta monografia trata de um estudo do processo de desenvolvimento psicológico do feminino fundamentado na Psicologia Analítica de C. G. Jung. O objetivo foi analisar o conto de fadas Frau Holle dos Irmãos Grimm, que serviu como material simbólico para descrever o processo de desenvolvimento feminino. O conto foi analisado seguindo o método de interpretação de sonhos proposto por C. G. Jung, por considerar que a origem das narrativas populares, ou contos de fadas, e os sonhos serem as camadas profundas do inconsciente, onde se instalam as imagens arquetípicas comuns a todos os homens e que formam a base da psique humana. Durante o trabalho, vários símbolos importantes apareceram no caminho da heroína como obstáculos a serem vencidos em seu processo de individuaç ão, como o poço, o fuso, o forno e a macieira, que são importantes por representarem o universo simbólico feminino. Estes símbolos e outros foram amplificados para trazer uma expansão e enriquecimento consciente destes símbolos coletivos. O conto apresenta a trajetória de duas meninas; uma é considerada a heroína e recebe a recompensa no final da trajetória. A outra, sua meia irmã e antagonista, é preguiçosa e trapaceira e por isso é punida. A heroína do conto tem o papel principal por ser a menina que é submetida às provas. Há situações difíceis que ela deve superar em seu ritual de iniciação, até chegar à maturidade, representada pelo banho de ouro, o despertar para a luz depois de um longo período de trevas. A figura de grande importância e influência no conto é Frau Holle, uma anciã, figura com origem na m itologia que pode ser considerada uma fada ou uma feiticeira. É a instrutora das meninas e representa a imagem da Grande Mãe. Sendo ela uma imagem arquetípica, traz consigo a dualidade, o par de opostos, agindo como uma Mãe Boa e também como uma Mãe Má. Em seu aspecto bom, ela é generosa, alimenta, cuida, protege e recompensa. Em seu aspecto mau, é cruel, vingativa, punitiva, implacável.

Palavras-chave: Contos de fadas. Feminino. Psicologia analítica. Rituais de iniciação. Arquétipos. Grande Mãe. Individuação.

Instituto de Psicologia Analítica de Campinas
Instituto C.G. Jung Minas Gerais
Instituto Junguiano do Paraná
Instituto Junguiano do Rio Grande do Sul
Instituto Junguiano do Rio de Janeiro
Instituto Junguiano de São Paulo
Instituto Junguiano de Brasília
Instituto de Psicologia Analítica da Bahia

Associação Junguiana do Brasil - AJB - Todos os direitos reservados

Rua Cardoso de Almeida, 1005, casa 6
CEP 05013-001 – Perdizes – SP
www.ajb.org.brajb@ajb.org.br

by Elav