Associação Junguiana do Brasil 25 Anos

Monografias

Voltar

Autor: GUIDON, Angela
Título: Fênix: Uma Ampliação Simbólica sobre Morte e Renascimento
Ano: 2010
Orientador: Gustavos Barcellos

Este trabalho traça um paralelo entre o mito da Fênix e nossos processos psicológicos de transformação da alma, vividos a partir do fogo, como o elemento primordial para recriarmo-nos, na procura de tornarmo-nos cada vez mais nós mesmos, com o nosso próprio fogo psíquico ativado.

A imagem da Fênix, que tem a capacidade de se reinventar recriando-se a partir do seu queimar, transformando-se em cinzas para, só a partir delas renascer, é um emblema da alma, do renascimento, assim como é o símbolo de uma vontade irresistível de sobreviver. Portanto, tem similaridade com o processo de individuação, quando somos tomados pelo instinto de nos tornarmos nós mesmos, e também com o processo analítico, quando vamos procurar a ajuda do analista para nos transformar, sendo ele o facilitador e acelerador do nosso processo de individuação. A incerteza e o sofrimento fazem parte desse nosso processo. As nossas ambiguidades e os nossos complexos sofridos e mutáveis são também representados pela Fênix, na duplicidade da anima e do animus vividas no mito.

O significado de a Fênix queimar a partir de seu fogo é a transformação interna propriamente dita, uma vez que sua energia não está mais ativa na forma antiga de ser e, portanto, precisa queimá-la, reduzindo-se a cinzas e só assim encontrará sua essência. O fogo escondido nas cinzas se manifesta quando renunciamos aos chamados do ego, para darmos vida e fogo aos apelos da alma; esta é a germinação da nova Fênix, é a renovação.

A origem dessa imagem interna está nos arquétipos e sua expressão está representada no Mito da Fênix. A proposta é, portanto, mostrar a Fênix como uma possibilidade de modelo de transformação por meio da morte e do renascimento, por ter um princípio e um fim, para depois recomeçar e terminar novamente, ajudando-nos em nosso processo de individuação.

Palavras-chave: Fênix, transformação, renascimento, fogo, individuação.

Instituto de Psicologia Analítica de Campinas
Instituto C.G. Jung Minas Gerais
Instituto Junguiano do Paraná
Instituto Junguiano do Rio Grande do Sul
Instituto Junguiano do Rio de Janeiro
Instituto Junguiano de São Paulo
Instituto Junguiano de Brasília
Instituto de Psicologia Analítica da Bahia

Associação Junguiana do Brasil - AJB - Todos os direitos reservados

Rua Cardoso de Almeida, 1005, casa 6
CEP 05013-001 – Perdizes – SP
www.ajb.org.brajb@ajb.org.br

by Elav