Departamento de Psicoterapia Infantil e Adolescente

Coordenadora:
Renata Whitaker (rewh@uol.com.br)

Colaboradores: Ana Carolina Falcone Garcia / IPAC
Gabriela Betto Etcheverry / IJPR
Lya Bueno Rocha e Silva / IPAC
Paula Pantoja Boechat / IJRJ
Silvio Lopes Peres / IPAC

Informações sobre o departamento, objetivos e funcionamento: Temos como objetivos, com base na Psicologia Junguiana, o estímulo de reflexões, leituras, discussão de filmes e trocas de experiências Clínicas e pessoais acerca da infância e adolescência. Assim, nossa compreensão do arquétipo da criança e do jovem é ampliado em nossa prática.
Iniciamos os nossos encontros em abril de 2016. Eles têm acontecido por Skype, uma sexta-feira por mês, das 10hs às 11:30hs. Mantemos nossa comunicação por e-mail e WhatsApp.
A intenção é de apresentarmos palestras em congressos da AJB e publicarmos artigos sobre as nossas reflexões no site ou revista da AJB.

Projeto (s) de estudo, livros e pesquisas realizadas:

a) Miss Potter – filme biográfico de uma famosa escritora e desenhista de livros infantis. A autora inglesa encontra a sua vocação na infância. Nossas ampliações a partir desse filme, partiram em Jung quando diz que para acessarmos a nossa verdadeira orientação profissional, temos que voltar às nossas memórias da infância.

b) Uma aventura Lego – o filme trata de uma peça de Lego que é capaz de desarmar uma máquina que colaria todas as peças e com isso impediria transformações no sistema. A partir deste filme, desenvolvemos diálogos sobre a imagem metafórica do Lego e sua vasta possibilidade de conexões concretas e psicológicas na construção do eu.

c) Duas Vidas – o filme aborda um homem adulto que reencontra com ele mesmo quando tinha 8 anos de idade, o que o ajuda a relembrar seus sonhos de infância. Abordamos o tema da criança interior em nossas discussões.

d) MILLER, A., O drama da criança bem-dotada, Ed. Summus. Toda criança é sensível e, sob um ambiente des equilibrado, pode ser desviada de s de sua verdadeira natureza, por ter que submeter-se para receber amor e sentir-se pertinente.

e) HILLMAN, J., O abandono da criança. O motivo da criança pela perspectiva arquetípica que ajuda o adulto a redescobrir a imaginação. Ele vê a criança como capaz de revitalizar nossas fantasias.

f) ARAÚJO, GUIMARÃES, Da criança arquetipal à mitologia da infância. Uma abordagem a partir de James Hillman. O texto trata da filosofia do imaginário educacional da criança, vendo-a em uma perspectiva simbólica.

Trabalho Apresentado: Pôster para o XXIII Congresso da AJB realizado em Ouro Preto – MG

Pesquisas e projetos em andamento:

Preparação da palestra para o XXIV Congresso Nacional da AJB com o tema: “Fronteira entre a criatividade e a padronização dos 7 aos 14 anos”

Publicações disponibilizadas:

Contato via whatsApp